? ºC Tangará da Serra - MT

Agronegócio

24/04/2018 16:15 G1

A uma semana do prazo de entrega, só 10% da obra da Zona de Exportação em MT foi executada

A contrato para construção da Zona de Processamento e Exportação (ZPE) de Cáceres, a 220 km de Cuiabá, expira em maio, mas a obra não será entregue à população no prazo previsto. A empresa Primus Incorporação e Construção, que está fazendo a obra, venceu a licitação após uma batalha na Justiça e conseguiu avançar apenas 10% do projeto.

A Secretaria Estadual de Cidades (Secid-MT) estuda o que será feito após o vencimento do contrato. À reportagem, a construtora alegou que o governo não teria feito os pagamentos necessários e que os atrasos teriam se iniciado em novembro do ano passado.

Por telefone, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SEDEC-MT) reconheceu que deve R$ 182 mil à empresa e afirmou que a construtora ainda tem documentos para entregar. A pasta alegou, porém, que já foram liberados cinco pagamentos.

O engenheiro responsável pela obra não quis gravar entrevista, mas disse que a obra não avançou porque o projeto feito pela empresa contratada pela Azpec, responsável por administrar a ZPE, tinha erros. A Azpec, por sua vez, não quis se manifestar sobre o assunto.

A ZPE de Mato Grosso deve ser construída em uma área de quase 240 hectares, na fronteira com a Bolívia, região que é estratégica para o escoamento da produção do estado e para a integração econômica com os países sul-americanos. Quando a ZPE estiver operando, a expectativa é de que sejam gerados cerca de 20 mil empregos.

 
Apenas 10% da obra da ZPE foi concluída até o momento (Foto: TVCA/Reprodução)

Apenas 10% da obra da ZPE foi concluída até o momento (Foto: TVCA/Reprodução)

Ao todo, deverão ser construídos cinco módulos com capacidade para abrigar 230 indústrias. Na primeira etapa, serão construídos oito prédios para a instalação da Receita Federal, administração, oficina mecânica, restaurante, apoio ao motorista e guaritas.

Os outros módulos serão comercializados com as empresas interessadas em se instalar. Em troca, elas terão isenção de impostos para exportação.

Várias empresas já demonstraram interesse em se instalar. O problema é que o projeto, que deveria ser executado em 12 meses, anda a passos lentos. No dia 1º de maio termina o contrato com a empresa responsável pela obra e, até agora, apenas 10% dos trabalhos estão concluídos.

 
Projeto da ZPE prevê construção de cinco módulos e capacidade para abrigar 230 indústrias (Foto: TVCA/Reprodução)

Projeto da ZPE prevê construção de cinco módulos e capacidade para abrigar 230 indústrias (Foto: TVCA/Reprodução)

Na licitação coordenada pela Secid, quatro empresas que se candidataram para executar a obra foram desclassificadas por inconsistência nas planilhas.

Uma delas, a Primus, entrou com mandado de segurança na Justiça, que foi atendido pela desembargadora Antônia Siqueira Gonçalves Rodrigues. A empresa, então, assumiu a obra, mas agora está pedindo prorrogação de prazo – o que ainda está sendo avaliado pela Secid.

A Primus pertence ao G|rupo Engeglobal – que atuou em obras da Copa de 2014 que até hoje não ficaram prontas, como os centros de treinamento da Barra do Pari e da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a reforma e ampliação do Aeroporto Marechal Rondon. Procurada, a empresa não quis se manifestar.


Redes Sociais

Titulo fixo

Jornal Tangará Online

Avenida Historiador RUBENS DE MENDONÇA EDF - OFFICE TOWER -SALAS 1001 E 1002 Cuiabá MT
Fone (65) 3052-6030
E-mail: redacao@tangaraonline.com.br

EMC-Empresa Milas de Comunicação 
CNPJ 10.935.231/0001-40
e-mail :maykommilas@gmail.com

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo