? ºC Tangará da Serra - MT

Agronegócio

29/05/2018 13:41 Gazeta Digital

Falta de ração gera canibalismo em granjas de Mato Grosso

Frangos e suínos confinados em granjas de todo o Estado já começam a praticar canibalismo por conta da falta de ração e da superlotação, reflexo da greve dos caminhoneiros, que chegou ao 9º dia nesta terça-feira (29). De acordo com Daniela Bueno, presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), já são 22 milhões de aves com restrição alimentar, dentre as 85 milhões alojadas. No caso dos suínos que estão passando fome, são 2,5 milhões em todo o Estado.

Bueno explica que o canibalismo se dá por conta da situação de estresse do animal. O fenômeno ocorre com as aves bicando umas às outras e os suínos se mordendo, comendo pedaços uns dos outros e de si próprios. “Eles não se comem por inteiro. Eles começam a se morder. Em toda situação de estresse, tanto o suíno quanto a ave, têm a tendência de fazer o canibalismo bicando ou se mordendo, comendo orelha. O bem-estar animal deles realmente acaba porque vão se automutilando”, afirma.

De acordo com Custódio Rodrigues de Castro Júnior, diretor da Associação de Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), essa situação já ocorre em cerca de 200 granjas de suínos por todo o Estado. Além disso, conforme o Indea, mais de 850 mil ovos férteis já foram destruídos para evitar que novas aves tivessem que dividir espaço com as que já estão nas granjas, agravando a escassez de ração nos estabelecimentos.

A presidente do Indea destaca que todos os frigoríficos já estão paralisados em Mato Grosso devido ao fato de as câmaras frias estarem lotadas de carne estocada e as cargas que já sairam nas câmaras frias dos caminhões estarem paradas nas estradas.

O comitê de crise instalado pelo governo do Estado sugeriu a criação de um selo para identificar os caminhões que carregam alimentos para os animais e as produções perecíveis para que sejam liberados do bloqueio, seja por convencimento dos grevistas ou por escolta militar. Somente com o escoamento do que já foi produzido, a cadeia produtiva poderá ser retomada.

“A gente precisa tirar essa carne para que os animais que estão hoje morrendo por falta de alimento e por falta de espaço, tanto nas granjas de suínos quanto de aves, possam ser abatidos. É tudo uma cadeia”, disse Daniela Bueno.  


Redes Sociais

Titulo fixo

Jornal Tangará Online

Avenida Historiador RUBENS DE MENDONÇA EDF - OFFICE TOWER -SALAS 1001 E 1002 Cuiabá MT
Fone (65) 3052-6030
E-mail: redacao@tangaraonline.com.br

EMC-Empresa Milas de Comunicação 
CNPJ 10.935.231/0001-40
e-mail :maykommilas@gmail.com

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo