? ºC Tangará da Serra - MT

Cultura

11/08/2017 12:59 FOLHA MAX

Chapada comemora o Dia Mundia do Elefante

O Dia Mundial do Elefante é comemorado em 12 de agosto e será celebrado pelo Santuário de Elefantes Brasil (SEB) com exposição de fotografias na praça Dom Wunibaldo, das 9h às 21h, em Chapada dos Guimarães. A anfitriã do dia será Teresita, uma elefante inflável de 4 metros que encanta crianças, jovens e adultos e percorre o país nos eventos promovidos pelo SEB. 

Também estará à disposição do público um motor home com espaço para as crianças desenharem e para fazer o cadastramento de interessados em notícias sobre Maia e Guida – as duas elefantas que vivem no Santuário desde outubro. Os cadastrados vão acompanhar também as ações em prol dos próximos elefantes que serão trazidos para o local, a evolução das obras que estão sendo feitas para dar suporte aos cuidados com os animais e a implantação do futuro programa de voluntariado do SEB.

A data foi instituída em 2012 com o objetivo de chamar a atenção para as ameaças que sofrem os elefantes na Ásia e na África. Segundo dados oficiais, mais de 36 mil elefantes são mortos a cada ano para retirada de suas presas que são enviadas ao oriente, onde são transformadas em objetos de marfim. Além disso, centenas de filhotes são sequestrados e submetidos a um cruel adestramento visando abastecer a indústria de entretenimento – circos, zoológicos e turismo. 

Maia e Guida vivem no Santuário desde 11 de outubro de 2016 e têm milhares de seguidores nas redes sociais, em diversas partes do mundo, que se deliciam com as mensagens, fotos e vídeos que registram as emoções do reencontro de ambas com a sensação de liberdade e o contato com a natureza exuberante.

Um acordo já foi assinado para receber mais quatro elefantes que hoje vivem em Mendoza (Argentina). O desafio é dar abrigo a outros animais, tanto da espécie asiática quanto africana, que vivem no Brasil e demais países da América Latina em pequenos recintos improvisados e sem condições adequadas à sua sobrevivência. Em cativeiro, o tempo de vida dos elefantes é reduzido para a metade dos cerca de 70 anos que vivem na natureza.

O Santuário

O Santuário é um local criado e estruturado para dar proteção a animais resgatados de circos e zoológicos que hoje estão vivendo em condições inadequadas, confinados em pequenos recintos, terrenos urbanos ou rurais, às vezes acorrentados, sem acesso a pastagens e, via de regra, com a comida racionada. Em alguns desses animais, é possível perceber, a olho nu, o abalo emocional, por meio de movimentos repetitivos da cabeça e do corpo, além da postura corporal alterada, diferentes do comportamento dos elefantes que vivem na natureza. 

 

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo