? ºC Tangará da Serra - MT

Curiosidades

26/06/2018 14:49 OLHAR Conceito

Obras de 35 artistas integram exposição em homenagem a Nilson Pimenta, João Sebastião e Osvaldina Santos

Obras de trinta e cinco artistas integram a exposição ‘Na mão junto ao peito’, que começa nesta quarta-feira (27) em Cuiabá. Idealizada por Valques Pimenta, a mostra tem por objetivo fazer uma homenagem a Nilson Pimenta, seu pai, João Sebastião e Osvaldina Santos, nomes que foram grandes expoentes da arte mato-grossense.

“Eu perdi o meu pai, Nilson Pimenta. O João Sebastião, eu sempre frequentava a casa dele. E Osvaldina eu conheci quando eu era criança, e eu já pintava. As homenagens a eles, in memorian, serão marcantes. Ou seja, já estão sendo muito emocionantes”, afirmou Valques.


Valques é artista desde os 6 anos de idade. Ainda criança, ele já expôs no Centro de Arte Primitiva de Brasília, em 1991. Depois, quando cresceu, foi trabalhar em outras áreas, mas continuou pintando. No ano 2000, uma de suas obras foi exposta na Bienal de São Paulo, e em 2001 ele foi chamado para servir ao exército. Quando saiu, um ano depois, já sabia que queria viver de arte.


Nilson Pimenta, seu pai, foi considerado um dos 40 melhores artistas populares do mundo em 2012, pela Fundação Cartier para a Arte Contemporânea em Paris. Ele faleceu no último dia 23 de dezembro de 2017, em decorrência de uma parada cardíaca, em Cuiabá.


João Sebastião, conhecido como o ‘pintor das onças’, faleceu em fevereiro de 2016. Era um dos mais importantes artistas de Cuiabá, e ainda muito jovem descobriu sua vocação, enquanto ajudava sua mãe, a também artista Alexandra Barros da Costa a pintar e fazer bonecas. Aos 16 anos, fez aulas de pintura com Batira de Mendonça e em 1968 mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar arte. Entre 1969 e 1973, viveu em Campo Grande, onde frequentava o Ateliê de Humberto Espíndola e atuou na Associação Mato-grossense de Artes (AMA). Em 1973, João voltou a Cuiabá e participou da criação do Museu de Arte e Cultura Popular da Universidade Federal de Mato Grosso (MACP-UFMT).


Osvaldina faleceu em 2010, aos 79 anos. Nascida em 1931, exerceu o magistério dos 19 aos 46 anos e, quando já estava se aposentando como professora primária, descobriu as artes plásticas. Na década de 70, ela começa a frequentar o Ateliê da Fundação Cultural de Mato Grosso, na época sob a supervisão da artista Dalva de Barros. Foi participante de inúmeros Salões de Mato Grosso (com as suas diferentes denominações) e foi premiada no Salão Jovem Arte Mato-grossense, com a tela “São Benedito”; em 1983 foi premiada no VI Salão Nacional de Artes Plásticas e diversos prêmios em salões no interior de São Paulo; em 1989, foi a grande vencedora na Concorrência Fiat, com o conjunto de telas homenageando os casarios. 


Serão expostas na ‘Na mão junto ao peito’ cerca de 43 obras, de 35 artistas, durante um mês. São eles: Adão Domiciano, Adriano Ferreira Figueiredo, Albina Santos, Aleixo Cortez, Amaury Santos, Amilton Martins, Benedito Nunes, Cherle Pimenta, Diomar C, Gonçalo Arruda, Izaque Sanches, João Padilha, João Sebastião, Junne Fontenele, Julio Cesar, Marlene Kirchesch, Nilson Pimenta, Olímpio Bezerra, Omar Souto (GO), Osvaldina Santos, Paty Wolff, Rafael Lima, Regis Gomes, Rimaro, Rita Ximenes, Rosylene Pinto, Rodrigo Sávio, Ruth Albernaz, Sitó, Tânia Pardo, Valdivino Miranda, Valques Pimenta, Vanusa Brito, Vicente Paulo e Waldomiro de Deus (GO).


“Eu estou incentivando alguns novos talentos, e dando oportunidades pra eles. Eu escolhi a dedo, mas ficaram pessoas de fora. O espaço é pequeno”, justifica Valques. O vernissage da exposição será nesta quarta-feira (27), a partir das 19h30, na Casa do Parque. A entrada é gratuita.


Serviço
Na mão junto ao peito
Data: Quarta-feira, 27
Horário: 19h30
Local: Casa do Parque


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo