? ºC Tangará da Serra - MT

Economia

30/11/2017 13:40 AGRO OLHAR

Compras de final de ano e melhora no emprego aumentam intenção de compras em Cuiabá

Embalada pelo ritmo de final de ano, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), deu um salto de 9,5% entre outubro e novembro em Cuiabá. O número passou de 75,9 para 83,1 pontos, e, em comparação com o mesmo período de 2016, representa índice superior em 8,6%. Apesar do aumento, o valor geral continua abaixo de 100 pontos, na zona de insatisfação, mas vem se recuperando, o que indica retomada do otimismo das famílias. A pesquisa foi realizada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio) e divulgada na quarta-feira (29/11), pela Fecomércio-MT.

Os dados também estão associados a situação do Emprego Atual dos cuiabanos, que  apresentou a terceira alta consecutiva e atingiu 123,3 pontos, com variação de 4,4% se comparado com o mês anterior (118,2 pontos). Em relação ao mesmo período do ano passado, o índice é 15,3% maior, quanto atingia 106,9 pontos em novembro de 2016.


Diante disso, foram constatados resultado positivo em todas as faixas de renda no mês. Para as famílias que recebem até 10 salários mínimos (s.m.), o salto positivo foi de 8,1% sobre o mês passado (saindo de 74 pontos em outubro para 80 pontos em novembro). Já as famílias que recebem acima de 10 salários (s.m.), o acréscimo foi ainda maior, de 19,7% e alcançou 111,6 pontos, acima da zona de insatisfação, que é abaixo de 100 pontos.


O levantamento  também mostra variações positivas em todos os seus componentes, com melhor resultado para o Nível de Consumo Atual, que apresentou alta de 24,4% se comparado com o mês de outubro. O componente Perspectiva de Consumo teve elevação de 17,2%, seguido da Perspectiva Profissional (9,5%) e Momento para Duráveis (9%).

A Renda Atual soma o quinto aumento consecutivo, chegando a 106 pontos em novembro e ultrapassando a zona de insatisfação. O índice saiu de 80,9 pontos em junho de 2017 para 106 pontos este mês. Na comparação anual, o componente também apresentou variação positiva de 14,6% sobre o mesmo período do ano passado, quando tinha 92,5 pontos, na época.


O presidente da Fecomércio-MT, Hermes Martins da Cunha, explica o bom momento no final de ano, que voltou a apresentar resultados melhores do que nos anos anteriores. “Os indicadores econômicos mostram recuperação, com o recuo da inflação, recuo do custo do crédito e retomada do poder de compra da população, o que contribui para uma fatia maior das famílias na hora das compras. Sem dúvida, a maior empregabilidade nesse período também contribuiu para o poder de compra da população”, disse o presidente.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo