? ºC Tangará da Serra - MT

Educação

20/10/2017 15:53 Midia News

Projeto mobiliza escolas no combate à corrupção

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação, Espore e Lazer (Seduc) e as secretarias municipais de educação de Cuiabá e Várzea Grande, lançou a edição 2017 do projeto "Onde há educação, a corrupção não tem vez", que fomenta a boas práticas e o combate à corrupção entre estudante das escolas públicas da Grande Cuiabá. As melhores escolas e os alunos com as melhores práticas serão premiados com tablets.

O lançamento do projeto foi realizado na Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), na tarde desta quinta-feira (19.10), e contou com a presença do secretário da Seduc, Marco Marrafon e do procurador Geral de Justiça, Mauro Curvo.

Curvo explicou que o projeto nasceu por meio de uma iniciativa da promotora de Justiça, Luciana Fernandes de Freitas, no interior do Estado, nas Comarcas de Porto Alegre do Norte e Comodoro e causou grandes transformações na região.

“O projeto teve uma aceitação tão boa que mobilizou não só as escolas, como as cidades, por isso decidimos fazer essa parceria e expandir ele para Cuiabá”.

Segundo o procurador, o concurso é uma forma estimular os jovens e os professores a adotarem melhores práticas tanto nas salas de aula, quando no dia-a-dia. “A melhor forma de combate à corrupção é a prevenção e quanto mais jovens, melhor ainda se torna a ação de conscientização”.

O secretário Marrafon ressaltou a importância da iniciativa que promove a prevenção do combate à corrupção entre os jovens.

“É importantíssimo hoje no Brasil criarmos uma cultura da integridade, conformidade e da legalidade. Ou seja, uma cultura de combate à corrupção, que vai desde as pequenas falhas como furar a fila da merenda, colar na prova, faltar e levar um atestado falso. Por isso, temos que incentivar que esta nova geração venha com um outro olhar, não só perante ao bem público, mas também perante o próximo, fomentando a cidadania”.

A disputa sadia entre 23 escolas de Cuiabá e Várzea Grande prevê instigar os jovens a se tornarem cidadãos melhores e entenderem o seu papel na sociedade. O concurso ocorrerá em duas categorias – municipal e estadual –, respeitando a faixa etária dos alunos participantes.

Cada uma das unidades escolas definirá seis alunos para representar a unidade na disputa que conta com três fases.

A primeira avaliação, que tem caráter eliminatório, é uma redação – que deverá conter título, introdução, desenvolvimento e conclusão, com o tema de combate à corrupção.

Já a segunda fase da disputa será um projeto de artes de forma livre, que pode ser desenvolvido por meio de todas as vertentes artísticas, como poesia, dança, teatro, música, documentários, entre outros.

A terceira e última etapa do projeto será em formato de discurso, que será entregue à comissão organizadora e apresentado à população.

A comissão avaliadora será composta por três jurados, entre eles, promotores de Justiça. Os vencedores serão contemplados com um tablet, assim como o professor orientador do projeto, e a escola vencedora receberá R$ 1 mil.

Participam da iniciativa nesta edição 10 unidades de Cuiabá e 13 de Várzea Grande. Na Capital, são cinco estaduais: Liceu Cuiabano Maria de Arruda Muller, Dione Augusto Silva Souza, Rafael Rueda, Prof Heliodoro Capistrano da Silva e João Brienne de Camargo; e cinco municipais: Dejani Ribeiro Campos, Senador Darcy Ribeiro, José Luis Borges Garcia, Elza Luíza Esteves e Ranulfo Paes de Barros.

Em Várzea Grande, são oito estaduais: Júlio Strubing Muller, Professora Elizabeth Maria Bastos Mineiro, Dunga Rodrigues, Jaime Veríssimo de Campos Junior Jaiminho, Irene Gomes de Campos, Governador Jose Garcia Neto, Porfíria Paula de Campos e Manoel Correa de Almeida; e são cinco municipais: Lenine Póvoas, Dirce Leite, Abdala José de Almeida, Tenente Abílio e Caic – Gonçalo Domingos de Campos.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo