? ºC Tangará da Serra - MT

Esporte

08/05/2018 17:36 GLOBO Esporte

Após escândalo, Jade pede suporte: "Precisa tornar o ambiente seguro"

Jade de Barbosa está desde os cinco anos envolvida com a ginástica artística, no Flamengo. São 21 anos no clube onde construiu uma relação familiar. No ginásio rubro-negro, Jade se sente segura. Era isso que todos esperavam quando deixavam seus filhos nas escolinhas. Mas a denúncia de casos de abuso sexual no esporte abalaram o meio nos últimos dias e gerou preocupação por parte de atletas e, principalmente, de pais de crianças que frequentam as escolinhas.

 
Jade Barbosa pede mais atenção nas escolinhas (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Jade Barbosa pede mais atenção nas escolinhas (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

A ginasta lamenta que o escândalo tenha estremecido a ginástica. Além de uma punição exemplar para aqueles que abusaram de atletas, Jade pede que medidas sejam tomadas dentro dos ginásios para que a confiança seja reestabelecida e que todos se sintam confortáveis em estar ou deixar os filhos nas escolinhas.

 

- Os clubes, federações, confederações têm que criar métodos para identificar e dar informação. Que o pai consiga identificar, que a criança possa falar. Tem que tornar o ambiente seguro de novo para que as crianças tenham certeza que vão ser ouvidas. A ginástica trabalha com uma idade muito baixa. Então os pais deixam no ginásio e vão trabalhar e voltam. Eles precisam se sentir seguros de deixar os filhos aqui. É importante acompanhar de perto. O coordenador do ginásio acompanhar, o técnico acompanhar as crianças. Os responsáveis de cada área estarem mais presentes. As crianças serem mais vistas. Esse é o principal agora, renovar o ambiente para que as crianças se sintam à vontade para praticar esporte de novo.

 
 
Flávia Saraiva, Diego Hypolito e Jade Barbosa, em foto de arquivo (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Flávia Saraiva, Diego Hypolito e Jade Barbosa, em foto de arquivo (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Mas Jade lembra que esse não é um problema exclusivo da ginástica artística. A atleta de 26 anos torce para que os casos recentes não manchem a história construída por todos os envolvidos no esporte.

- Você vê que são 21 anos só de caminhada minha. O quanto a gente trabalhou para a ginástica chegar onde chegou. Não só o meu suor, mas desde professores de escolinha, faxineiras que cuidam do ginásio...é muita gente envolvida para chegar um fato desse e talvez manchar nossa história. É um caso muito sério. Se for realmente culpado, tem que ter uma punição. Não é o primeiro esporte que tem isso nem o último. A gente sabe que tem isso na sociedade. Qualquer lugar vai ter, na faculdade, no colégio. Que bom que isso está sendo exposto, e que a gente está tendo a chance de resolver. Eu vejo o que aconteceu, e tem que resolver. O que tiver que fazer, a gente vai fazer em relação a ajudar os que sofreram, entender como tornar o ambiente melhor de novo - completou a ginasta.

Companheira de Jade, Flavinha também lamentou os casos de abuso e pede que os responsáveis sejam punidos.

- Me entristece muito. Ficaria triste em qualquer esporte. Vai para o esporte para ter educação, para ter respeito e aí acontece isso. É triste. É uma situação complicada (falar sobre ser abusado). Vai de cada pessoa, de como ela está se sentindo, de estar confiante para falar. Não adianta um só falar, senão ninguém acredita.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo