23 de Maio de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Quarta-feira, 15 de Maio de 2019, 10h:49 - A | A

Nascida da busca pelo ouro, Várzea Grande completa 152 anos

G1

image

Várzea Grande foi fundada em 1867, mas uma lei estadual de 1948 desmembrou o território do município de Cuiabá.

Segundo maior município de Mato Grosso em número de habitantes e com 3º maior PIB, Várzea Grande completa 152 anos nesta quarta-feira (15). A cidade que está colada em Cuiabá, separada apenas pelo Rio Cuiabá, tem população estimada de 282.009 pessoas, segundo estimativa divulgada em 2018 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Pela proximidade com a capital, Várzea Grande possui cultura e costumes semelhantes e também nasceu da exploração do ouro, no século XVII.

 

Veja alguns detalhes:

 

 

  • Terra era ocupada pelos índios Guanás
  • Município foi fundado em 1867
  • Desmembrado de Cuiabá em 1948
  • Primeira balsa para travessia entre Cuiabá e Várzea Grande foi inaugurada em 1874
  • Nossa Senhora da Guia foi a primeira igreja construída
  • Em 1942, o interventor Júlio Müller inaugurou a ponte de concreto, unindo Várzea Grande a Cuiabá
  • O primeiro prefeito municipal nomeado foi o major Gonçalo Romão de Figueiredo

 

A área onde atualmente é a Cidade Industrial, como é chamada, foi doada aos índios Guanás em 1832, por ato do Governo imperial, segundo consta no livro 'Várzea Grande: História e Tradição', do historiador e professor José Wilson Tavares.

Era chamada de Várzea Grande dos Índios Guanás, que eram tinham contato com os brancos e alguns faziam acordos comerciais com bandeirantes paulistas e moradores da Vila do Cuiabá.

No entanto, essa doação das terras aos indígenas é questionável, segundo o historiador, já que os portugueses e paulistas no início da Marcha para o Oeste, como era chamada a aventura dos bandeirantes, tinham interesse em aprisionar indígenas para o trabalho forçado em São Paulo. A mão de obra indígena era mais barata que a dos negros.

 
Avenida Couto Magalhães no século passado — Foto: Reprodução

Avenida Couto Magalhães no século passado — Foto: Reprodução

 

Com o fim dos conflitos da Guerra do Paraguai, que durou seis anos - entre dezembro de 1864 e 1870 -, pessoas de várias partes, especialmente de Nossa Senhora do Livramento fixaram residência no pequeno povoado em ascensão. Surgiram então os primeiros comerciantes, aumentando o pequeno núcleo populacional.

Marcando a sua estratégia de posição de passagem e caminho que leva ao interior da província, em 1874, inaugura-se a primeira balsa, e iniciando à travessia entre Cuiabá e Várzea Grande, o que permitiu transportes de volumes e mercadorias daquele entreposto comercial para a capital – a balsa fez história.

 
Igreja Nossa Senhora da Guia foi a primeira construída na cidade — Foto: Prefeitura de Várzea Grande-MT/ Assessoria

Igreja Nossa Senhora da Guia foi a primeira construída na cidade — Foto: Prefeitura de Várzea Grande-MT/ Assessoria

 

De povoado à paróquia

 

A primeira igreja foi a de Nossa Senhora da Guia. Sua construção foi devida a um movimento histórico, liderado por Elesbão Pinto e depois por Sebastião dos Anjos. A obra foi concluída no ano de 1892.

Uma lei provincial de 1886 elevou o povoado de Várzea Grande à categoria de Paróquia. Em 1899, a Paróquia já contava com cartório, subdelegacia de polícia, duas escolas pequenas e uma urna para uso dos eleitores.

A Revolução de 1930 determinou significativas mudanças no sistema político e social de Várzea Grande. Em 1942, o interventor Júlio Müller inaugurou a ponte de concreto, unindo Várzea Grande a Cuiabá, e dotou o terceiro distrito de energia elétrica, consolidando seu crescimento.

 
 
Instalação de Várzea Grande em 1949 — Foto: Reprodução

Instalação de Várzea Grande em 1949 — Foto: Reprodução

Várzea Grande foi fundada em 1867, mas uma lei estadual de 23 de setembro de 1948, de autoria do então deputado Licínio Monteiro, criou o Município de Várzea Grande, com território desmembrado do município de Cuiabá. O primeiro prefeito municipal nomeado foi o major Gonçalo Romão de Figueiredo.

No período da emancipação de Várzea Grande, quem governava Mato Grosso era Arnaldo Estevão de Figueiredo, que se notabilizou como grande incentivador da política migratória e de expansão em Mato Grosso.

O historiador afirma que a "Várzea do Boiadeiro" sempre mostrou vocação para ser cidade de grande porte, e parecia haver nos primeiros moradores uma exagerada autoconfiança em relação ao futuro da pequena vila, que viria transformar-se na cidade industrial de Mato Grosso.

 

Vocação industrial

 

A vocação industrial ganhou notável impulso. Inúmeras doações de áreas, incentivos fiscais de toda natureza, infraestrutura adequada permitiram a atração de grandes grupos financeiros.

Disseminou-se a industrialização, a Alameda Júlio Müller, antigo caminho de pescadores, ganhou ares de distrito industrial, instalou-se ali a empresa Sadia Oeste, grande geradora de divisas e empregos.

Nas proximidades cresceu o grande bairro Cristo Rei, o maior de Várzea Grande e celeiro da mão-de-obra local. A explosão da industrialização, ocorrida em quase todos os quadrantes do município estimulou o comércio, que ferve em toda a extensão da Avenida Couto Magalhães.

Imprimir





image