21 de Abril de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Terça-feira, 09 de Abril de 2019, 10h:07 - A | A

Uma mulher é morta brutalmente a cada quatro dias em Mato Grosso

image
A Polícia tem registrado casos bárbaros e brutais de violência contra as mulheres em Mato Grosso. São mais de 100 mulheres mortas por ano no Estado. Além das mortes elas ainda sofrem agressões, são taxadas de vagabundas, estupradas, mantidas em cativeiros e roubadas.
 
Trindade (Especial para o Centro Oeste Popular)
 
A violência contra as mulheres em Mato Grosso não para.  Desde 2016 a média de 100 a 110 mortas por ano não diminui. Entre 2006 a 2016 o Estado já registrava mais de 1.000 mortes de mulheres. De lá para cá a violência contra as mulheres só aumenta. No ano passado mais de 100 mulheres foram assassinadas em Mato Grosso. Além das mortes, a Polícia também registra casos de cárcere privado, tortura física e verbal, além de estupro, roubo e morte. Os números apontam que praticamente uma mulher a cada quatro dias são mortas.
 
A matança de mulheres no Estado representa uma taxa de 6,4 homicídios para cada 100 mil brasileiras. O Mapa da Violência aponta que ainda sobre Mato Grosso, em 13 anos – de 2016 a 2019 -, aconteceu um aumento de quase 35% no número de assassinatos de mulheres.
 
BRUTALIDADE – Além da brutalidade nas mortes, as mulheres também sofrem todos os tipos de violência. As mesmas geralmente são agredidas pelos maridos, ex-maridos, namorados ou companheiros a socos e pontapés. Também são esganadas, colocadas em carece privado e não tão pouco também são a estupradas e agredidas verbalmente.
 
“Vagabunda” é a expressão mais utilizada nas agressões verbais. As mortes de mulheres em Mato Grosso e no Brasil são destacadas a níveis internacionais, principalmente quando a mulher é brutalmente torturada antes de levar facadas ou tiros.
 
A Polícia também tem registrado casos de mulheres vítima de violência duas ou até cinco vezes em um mesmo caso. Quando ela é agredida verbalmente antes de ser torturada com socos e pontapés, e também estuprada, assassinada e roubada pelo mesmo homem.
 
CASO TÍPICO – O corpo de uma mulher foi encontrado dentro de uma residência no bairro Santa Laura, em Cuiabá. A vítima foi encontrada em cima de uma cama seminua , de barriga para baixo e com os pés e mãos amarrados para trás. A mulher tinha a cabeça envolvida em vários panos amarrados, estava sem camiseta e usava um short de cor azul. A mulher foi esganada e morta a pancadas na cabeça. Próximo ao corpo fui encontrado uma enxada e um pedaço de madeira, ambos manchados com sangue. Quem matou também estuprou e roubou objetos da casa da vítima.





ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor da taxação dos Ubers?

PARCIAL
image