? ºC Tangará da Serra - MT

Mundo

21/11/2017 15:51 G1

Presidente iraniano declara fim do grupo Estado Islâmico

O presidente iraniano Hassan Rohani proclamou nesta terça-feira (21) o fim do grupo Estado Islâmico (EI) em um discurso transmitido ao vivo na televisão pública.

A derrota da organização fundamentalista sunita também foi proclamada pelo general Qassem Soleimani, um alto líder do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica, em uma mensagem enviada ao guia supremo do Revolução islâmica, o aiatolá Ali Khamenei, que era transmitido pela Sepah News, o site dos Guardiões.

Hassan Rohani se reunirá quarta-feira (22) na Rússia com seus homólogos russo, Vladimir Putin, e turco, Recep Tayyip Erdogan, para discutir o conflito sírio.

"Hoje, guiado por Deus e a resistência dos povos na região, podemos dizer que esse mal foi ou removido da cabeça das pessoas ou diminuído", disse Hassan Rohani sobre o grupo EI. "É claro que haverá vestígios, mas a base e as raízes foram destruídas", acrescentou o presidente.

General Soleimani comanda a Força al Quds, o ramo dos Guardiões responsáveis ​​por operações fora das fronteiras do Irã.

Vídeos e fotos dele na linha de frente nas batalhas contra o grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria foram transmitidos repetidamente pela mídia iraniana nos últimos anos. Mil Guardiões, incluindo altos comandantes, foram mortos na Síria e no Iraque.

A guerra na Síria entrou em uma nova fase com a tomada de Albou Kamal, no fim de semana passado, pelo exército sírio e seu aliados, última cidade importante ocupada pelo grupo Estado Islâmico no país.

Após essa derrota em Albou Kamal, restam ao grupo EI apenas algumas aldeias ao longo do Eufrates, bem como alguns sítios aqui e ali na Síria.

Na semana passada, a imprensa iraniana exibiu fotos de general Soleimani em Albou Kamal.

No Iraque, as forças iraquianas retomaram na sexta-feira a cidade de Raoua, última cidade controlada pelo Estado islâmico.

Aqueles que estão lutando contra o EI na Síria e no Iraque acreditam que a organização fundamentalista sunita agora atuará na clandestinidade e realizará uma guerrilha urbana ativando células dormentes.

Em seu discurso na terça-feira, Hassan Rohani acusou Estados Unidos e Israel de apoiarem o grupo EI.

Ele também criticou Estados árabes na região e perguntou por que eles não denunciaram as mortes de civis na guerra no Iêmen.

O ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita e seus aliados criticaram o Irã e o Hezbollah, seu aliado xiita libanês, em uma reunião de emergência da Liga Árabe domingo no Cairo, pedindo uma frente unida para combater a interferência iraniana.

Qassem Soleimani, por sua vez, agradeceu aos "milhares de mártires e feridos, iranianos, iraquianos, sírios, afegãos e paquistaneses defensores do lugar santo".

Nos sites ligados aos Guardiões, os pasdaranos mortos na Síria e no Iraque são declarados como protetores do “lugar santo".

O general Soleimani enfatizou o "papel decisivo" desempenhado pelo Hezbollah e seu líder Hassan Nasrallah e também mencionou “os milhares de voluntários xiitas iraquianos reunidos nas unidades de mobilização popular ", que lutaram contra o EI no Iraque.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo