22 de Março de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Quinta-feira, 14 de Março de 2019, 11h:25 - A | A

Família e amigos de estudante assassinada fazem ato em praça de Tangará da Serra (MT) antes da 1ª audiência sobre o caso

image

Parentes e amigos da estudante Mariana Dutra, de 21 anos, que foi assassinada em novembro de 2018, se reuniram na Praça da Bíblia, em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, nessa quarta-feira (13), com cartazes e camisetas. A primeira audiência do processo que apura o crime está prevista para esta quinta-feira (14).

Um adolescente de 15 anos foi apreendido na data do crime suspeito de matar a jovem.  Ele confessou a autoria do assassinato. E, em dezembro, a polícia prendeu Bruno Santos de Souza, de 24 anos, apontado como o mandante do crime. Com ele, foi apreendido o celular da vítima.

Depois de se concentrarem na praça, os familiares desceram pela Avenida Brasil, em silêncio. A manifestação foi organizada para pedir Justiça às autoridades que vão começar a julgar a morte da Mariana.

Essa é a primeira audiência sobre o caso realizada no Fórum de Tangará da Serra para ouvir Bruno de Souza.

 Marina foi morta a facadas em novembro do ano passado. O corpo dela foi encontrado em um matagal no Bairro Jardim Acapulco depois de ficar quase 20 dias desaparecida.

A polícia informou que, antes de desaparecer, Mariana esteve na delegacia para prestar queixa por causa de um celular e uma bicicleta que teriam sido roubados dela. Desde então a família denunciou o desaparecimento e procurava pela jovem.

O adolescente está no Centro Socioeducativo de Cáceres, a 220 km de Cuiabá.

Imprimir
Comentários












Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.





image