26 de Maio de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Sexta-feira, 15 de Março de 2019, 15h:25 - A | A

Mulher é obrigada a se retratar por difamar salão em grupos do Facebook

Mulher precisou se retratar em uma página no Facebook conhecida como Aonde Não Ir em Cuiabá por ter feito uma publicação difamando o salão de beleza Hadassa Studio Hair em 2015. De acordo com a postagem, decisão foi do Juizado Especial Cível de Várzea Grande.

N.F.T.C teria reclamado dos serviços da empresa em 2015, quando contratou o salão nas vésperas do seu casamento para um dia de noiva. Ela teria dito que, na ocasião, "o que era pra ter sido um dia calmo e de felicidade se transformou em ansiedade, choro e raiva". 

Isto porque a profissional contratada para exercer os serviços teria pedido demissão para abrir seu próprio negócio dias antes do casamento de N.F.T.C., o que fez com que ela optasse por reincidir o contrato com o salão e ser atendida pela profissional. 

"Sendo certo que fui eu quem quis cancelar o contrato de dia de noiva com o salão Hadassa Hair, poucos dias antes do meu casamento, sendo inverídica a afirmação de que fora o salão quem cancelou os serviços sem me comunicar com antecedência", diz trecho da publicação. 

Mulher também se retratou sobre a afirmação de que a proprietária do salão só teria devolvido seu dinheiro depois de ação judicial e disse que o valor foi ressarcido apenas com o envio de um e-mail. 

"Logo, também é inverídica a informação de que eu paguei por duas vezes pelo meu dia de noiva, posto que recebi o valor integral do distrato. A proprietária do salão jamais se negou a devolver o dinheiro, não me tratou com ironias nem tampouco agiu com falta de educação". 

Ela afirmou que não teve intenção de atingir, desabonar ou macular a honra e imagem da empresa, embora tenha narrado os fatos ocorridos de forma 'diversa', como foi comprovado pelo processo judicial.

image

 

image

image

 

Imprimir





image