? ºC Tangará da Serra - MT

Última Hora

19/10/2017 14:03 Gazeta Digital

Em depoimento, os suspeitos confessaram que planejavam roubar a caminhonete do policial que estava estacionada na sorveteria. Os assaltantes, no entan

A Câmara de Cuiabá recebeu uma terceira denúncia contra o vereador Felipe Wellaton (PV) nesta quinta-feira (19). A Mesa Diretora define agora se acata ou não o pedido que pode culminar na cassação do parlamentar.

"É uma representação, um pedido de abertura de um processo ético em desfavor do vereador Felipe Wellaton. O cidadão com o nome Walmir Molina diz que houve falta de ética pelo vereador. No caso de processo ético, a denúncia vai para a Comissão de Ética e tomar as providências em um prazo de 90 dias, que vai analizar, ouvir testemunhas e emitir um relatório que deve ser aprovado por maioria absoluta dos vereadores para qualquer providência. A representação foi feita hoje e o presidente tem 5 dias para analisar se ela pode ou não ser aceita", disse o secretário de apoio legislativo, Ironides Cruz.

O vereador acusado de quebra de decoro afirma que não teme a denúncia e culpa a administração da prefeitura de Cuiabá por toda a crise no legislativo.

"Anteriormente foram feitas duas denúncias, mas sem documentação. Chegou uma agora e o presidente pode acatar ou não. Mas é para tentar desviar o foco do que está acontecendo na cidade, discutimos a situação das licitações e tão tentando desviar o foco. Não vamos nos abater. O prefeito Emanuel Pinheiro tem deixado digitais nessa Casa e a culpa não é do vereador Felipe Wellaton. A preocupação é que um gestor que ordena R$ 2 bilhões de orçamento e tem denúncias que fere a sua moralidade, traz uma dúvida quanto a sua condução. Estamos fazendo nosso trabalho de fiscalização", disse Wellaton.

Além de ter assinado o requerimento de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a conduta do prefeito Emanuel Pinheiro, Wellaton também entrou na justiça para pedir o afastamento do peemedebista e para anular a suplementação de R$ 6,7 milhões que foi concedida para câmara de vereadores dois dias após a CPI não ter conseguido as assinaturas necessárias para ser criada.

Após a Justiça cancelar o decreto da suplementação, 460 servidores do Legislativo foram exonerados. O criador da denúncia seria um dos colaboradores demitidos. 


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo