? ºC Tangará da Serra - MT

Última Hora

11/01/2018 09:29 OLHAR DIRETO

Aposentada investe em cachorro-quente de pote para ocupar tempo e complementar renda

Pão, salsicha, molho de tomate, purê de batatas e... um pote. Foi nesses ingredientes que a aposentada Carmen Lúcia Prates Tomazelli, 65, encontrou uma distração quando, em maio de 2017, parou de trabalhar após quase 50 anos de carteira assinada. O passa-tempo também se tornou fonte de renda e, hoje, a cuiabana vende, além dos cachorros-quentes de pote, sanduíches naturais de frango, peito de peru, atum, salmão e frango natural.


Carmen Lúcia já trabalhou no Fórum, passou 23 anos no departamento jurídico do Banco do Estado de Mato Grosso (Bemat) – onde se aposentou – e mais 22 trabalhando no Cartório do 1º Ofício, em Cuiabá. “Quando falaram de aposentadoria, de parar de trabalhar, eu me senti mal... chorei. [Foram] 50 anos de trabalho na carteira. Eu pensei: gente, eu vou ficar inútil? O que eu vou fazer da minha vida?”, contou.


A ideia de vender comida nunca tinha passado por sua cabeça, apesar de já complementar a renda com o comércio de cosméticos e de artesanatos, produzidos por familiares. Em maio de 2017, no entanto, o cansaço já era maior do que a vontade de ir ao Cartório todos os dias. “Eu mesma senti. Eu era ativa, tudo que soltavam na minha mão eu mexia, com juiz, promotor.., cumprindo certinho. E ultimamente eu estava achando que eu lia os contratos, e quando eu chegava no final, eu esquecia, não assimilava. Aí eu anotava, e isso perde tempo”, lembra.


A decisão final aconteceu uma noite, quando Carmen acordou e estava com a boca torta. “Não tive nada, mas fui no banheiro, olhei, e estava torta. Aí minha filha me falou, mãe, para! A senhora não tem mais filho pequeno pra cuidar, nem nada”.


Três meses depois do ocorrido, ela saiu do cartório. Neste meio tempo, no entanto, uma amiga havia lhe enviado uma receita de cachorro-quente de pote, e ela fez e levou ao trabalho. Lá, todos aprovaram a receita, e pediram para que levasse novamente.

Quando finalmente se despediu do trabalho, Carmen viu nessa receita uma forma de aproveitar o tempo, que agora ela tinha de sobra, e ainda ganhar um dinheiro extra. “Todo mundo gosta! [Principalmente] criança! Faz nos potinhos, come, joga no lixo e a mãe fica tranquila. É mais fácil de comer”, explica.


Em sua receita, Carmen coloca pão de forma, salsicha, purê de batatas e batata palha. Ela faz questão de frisar que todos os alimentos são de primeira linha, e cada potinho sai por R$5. Os sanduíches, por sua vez, custam R$7, e podem ser de diversos sabores.


Por enquanto, a aposentada ainda tem como público fiel os colegas do cartório, além dos vizinhos de sua casa na Rua 24 de Outubro. Quem quiser, pode encomendar em quantidades maiores, ou buscar os produtos a pronta entrega, a partir das 7h da manhã, de segunda a sexta-feira.


Serviço
Carmen Lúcia
Encomendas e informações: (65) 99911-4501 / (65) 3028-3021


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo